quarta-feira, 15 de julho de 2015

Resenha: O Lado Feio do Amor (Ugly Love) - Colleen Hoover


 Embalada na leitura de "Losing It" de Cora Carmack resolvi ler um dos romances mais comentados da autora Colleen Hoover que é Ugly Love. 
 No Brasil esse livro tem previsão de lançamento para o próximo mês pela editora Record e o título em português foi traduzido como "O lado feio do amor", então para aqueles que não estão com vontade de ler em inglês, a versão nacional já se encontra em pré-venda nas maiores livrarias online.
 Desde já devo avisar que essa resenha terá vários trechos em inglês do livro, pois eu necessito comentar certas partes da narrativa e provavelmente alguns spoilers aparecerão no meio dos comentários, porém avisarei antes de contar qualquer parte reveladora. Outra questão importante é que essa resenha será totalmente negativa, pois eu destetei o romance criado por Collen Hoover. Portanto se você leu a história e se apaixonou pela narrativa e seus personagens, não aconselho ler essa resenha já que minha opinião sobre os elementos que compõem esse livro não será em nenhum momento favorável.
 Feito os avisos iniciais, vamos ao breve resumo da obra. "Ugly Love" é um livro considerado "young adult" (novo adulto) e conta a história de Tate uma mulher de 23 anos que após terminar com seu namorado muda-se para o apartamento do irmão Corbin que é piloto de avião. A moça tinha a vida planejada, iria fazer mestrado, arrumar um emprego em sua área de formação e procurar um lugar para morar sozinha assim que conseguisse se estabilizar financeiramente, porém ela não planejava em conhecer Miles.
 Miles é o mocinho dessa história. Com 24 anos, o rapaz também trabalha como piloto e é "vizinho" de Corbin, morando de frente para seu apartamento. Miles e Tate se conhecem em uma situação pouco comum, o mocinho desmaiado de bêbado em frente a porta do apartamento de Corbin impede Tate no dia da mudança de entrar na casa.  Ao ligar para o irmão, Tate descobre que Miles é seu amigo e ajuda o desconhecido a entrar dentro do apartamento, iniciando-se assim a história de ambos.
 A atração sexual entre Miles e Tate é criada desde o primeiro contato visual, assim com o passar do tempo quando Miles propõe à Tate um relacionamento baseado apenas em sexo, a moça topa sem hesitação. Porém as regras impostas por Miles sobre nunca perguntar sobre seu passado e não esperar um futuro amoroso entre ambos complicam o relacionamento de nossos protagonistas.
 Isso é o fim da resenha sem spoiler, a partir desse momento se você não leu o livro peço que não continue a leitura dessa resenha, pois a história será desvendada nos próximos parágrafos e eles terão spoilers. Feito esse aviso, vamos seguir em frente.

sábado, 11 de julho de 2015

Resenha: Perdendo-me (Losing It) - Cora Carmack


 Losing It foi um livrinho tão despretensioso que eu achei digno fazer uma resenha-sinopse desse "chick-lit".
 Lançado originalmente em 2012, Losing It foi traduzido e vendido no Brasil pelo  +Grupo Editorial Novo Conceito no final do ano passado com o título de "Perdendo-me". Desde a data de lançamento nos EUA eu vinha "namorando" esse livro pelo Goodreads, devido a sua sinopse de romance "água com açúcar" e sua promessa de uma leitura rápida e descompromissada.
 Cara Carmack realmente cumpre o prometido. Losing it apresenta a história de Bliss, uma garota de 22 anos (minha idade o/) que está no último semestre da faculdade de artes cênicas e ainda é virgem. Cansada de sua virgindade e desapontada por ser a única garota de sua idade pura e inocente, Bliss conta seu problema para a amiga Kelsey (que é o oposto da protagonista) e juntas elas vão à um bar encontrar um homem para Bliss perder sua virgindade.
 É nesse bar que nossa heroína encontra Garrick, um loiro alto de olhos azuis, com sotaque britânico e ainda por cima lendo Shakespeare (suspiro apaixonado). Como todo bom romance, a química entre Bliss e Garrick é instantânea e logo nesse primeiro encontro repleto de beijos e faíscas as coisas começam a se encaminhar para o desfecho que Bliss tanto deseja, porém a mocinha surta e abandona o coitado minutos antes deles consumarem a relação.
 Envergonhada com o que fez, Bliss tenta superar o fracasso da noite anterior pensando que nunca mais iria encontrar o britânico em sua vida, porém no próximo dia ao chegar na faculdade ela descobre que o rapaz com quem tinha ficado é seu novo professor. Começam assim os problemas do amor proibido e da indecisão de Bliss.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Resenha: O Substituto (Ordem da Escuridão #1) - Philippa Gregory


 Mudando um pouco o gênero, essa semana li o primeiro livro "jovem" ("young adult") de uma das minhas autoras preferidas, Philippa Gregory.
 O Substituto pertence a uma série de livros denominada "Ordem da Escuridão", o primeiro volume foi lançado recentemente pela editora Record através do selo da Galera Record, o que já indica a faixa etária do livro. A editora oficial da autora consta com vários outros títulos publicados (e indicados) como "A Irmã de Ana Bolena" que faz parte da série sobre a dinastia Tudor entre várias outras obras históricas para aqueles que gostarem da escrita da autora (termina aqui o momento fangirl).
 O primeiro volume da série "A Ordem da Escuridão", apresenta os personagens principais da narrativa e como eles se conheceram. A narrativa inicia-se com Luca sendo nomeado membro de uma Ordem misteriosa, cuja intenção é fazer o nosso protagonista ir à locais onde coisas estranhas e não religiosas acontecem para interrogar as pessoas, resolver os conflitos e propagar a fé católica.
 Luca recebe o nome de "inquisitor" devido sua função e para auxiliá-lo durante seu trabalho o menino leva seu companheiro Freize e o copista Peter. A primeira missão de Luca é ir à Abadia de Lucretili, onde coisas obscuras estavam acontecendo com as mulheres que lá habitavam.
 É nessa missão que nosso mocinho conhece Isolde e sua companheira fiel Ishraq. Após a morte do pai, Isolde descobriu que não tinha muitas escolhas na vida, já que seu pai colocou em seu testamento que a moça deveria ou se casar ou ir para a abadia. Rejeitando a primeira opção, a mocinha se torna a abadessa do convento contra sua vontade e é no convento que o destino de todos os personagens se cruzam e o enredo se inicia.

sábado, 4 de julho de 2015

Resenha: Uma Noite Para Se Entregar (Spindle Cove #1) - Tessa Dare



 Infelizmente inicia-se nesse blog a série: Abandonada Por Você, onde Beatriz (a autora desse blog) irá relatar sua luta intelectual ao tentar ler inconstante vezes o mesmo livro antes de abandoná-lo de vez. E o primeiro livrinho estreante dessa série é Uma Noite Para Se Entregar da autora Tessa Dare. 
 Antes de começar as críticas e possíveis spoilers (avisarei antes de escrever qualquer tipo de spoiler), vamos sintetizar o enredo do livro.
 A história criada por Tessa Dare ocorre em 1813 num lugar denominado Spindle Cove. A cidadezinha é a representação do cenário perfeito para todas as moças da sociedade que não conseguem seguir ou comportar-se adequadamente para a época. Comandada por Suzanna Finch, uma mulher de cabelos ruivos com comportamento e ideais revolucionários para sua época conservadora, a cidade refúgio para mulheres cresce a cada dia que passa.
 As damas desse lugar pacífico, vivem em perfeita harmonia com seus dias da semana fixamente delimitados por uma rotina criada por Suzanna. Porém a paz desse ambiente é destruída com a chegada do tenete-coronel Victor-Bramwell, que vai a cidade com o desejo de conversar com o pai da nossa heroína e restabelecer seu comando militar. Nosso pobre mocinho levou um tiro em seu joelho e isso prejudicou seu desempenho e papel durante a guerra, ficando dessa forma impossibilitado de liderar seus homens. 
 Ao conversar com o pai de Suzanna, Victor descobre que só poderá ter seus desejos concedidos se criar uma milícia respeitável  na cidadezinha de Spindle Cove e é assim que iniciam-se os problemas da nossa narrativa.
 Pode-se dizer que essa leve sinopse resume basicamente toda a história do livro, porque a narrativa de Tessa Dare consegue se limitar ao resumo encontrado no verso da obra.
* Se você não leu o livro, o restante da resenha pode conter spoilers. Portanto se o resumo do livro te deixou com vontade de ler ou se você está lendo a história e não quer descobrir informações importantes, recomendo não prosseguir a leitura completa da resenha.