nicola yoon

Resenha: O Sol Também É Uma Estrela (The Sun Is Also A Star) - Nicola Yoon

15.2.17


 "O Sol Também É Uma Estrela" é um jovem adulto contemporâneo que vem causando bastante rebuliço no universo literário. Nicola Yoon inova ao criar uma obra com basicamente todos os temas que estão em voga na atualidade, além de complementar sua narrativa com um romance predestinado entre os protagonistas.
 Sendo minha primeira experiência com a autora e sua escrita, pode-se dizer que o resultado final da leitura foi bem agradável, ainda que algumas coisas aqui realizadas me incomodaram um pouco. Antes de irmos para o "prós e contras" do livro, é essencial fazer um breve resumo do enredo abordado.
 A obra de Yoon, conta a estória de Natasha e Daniel, dois personagens opostos que se atraem de maneira inexplicável. Tasha é a garota racional e científica que não acredita em destino ou acasos. Para ela a vida é uma sucessão de fatos que podem ser explicados de maneira lógica e quase sempre são consequências de suas ações (onde toda ação tem uma reação).
 Já Daniel é o oposto da garota. Com alma de poeta e romântico incurável, o rapaz acredita em teorias onde universos paralelos existem e o destino irá proporcionar e lhe mostrar aquilo que você deve fazer na vida (onde tudo já estava escrito e fadado a acontecer).
 Um belo dia, Daniel tinha uma entrevista marcada para conseguir entrar na faculdade de Yale (seus pais coreanos queriam que ele fizesse medicina e fosse um adulto bem sucedido) quando ele encontra Natasha andando distraída na rua e decide seguir a moça, porque algo dentro dele dizia que eles estavam destinados a se conhecerem.
 Porém, Daniel mal imaginava a peça que o destino lhe pregaria ao fazê-lo conhecer Natasha. A moça, que aparentemente era sua alma gêmea, estava vivendo seu último dia nos Estados Unidos. Sua família jamaicana, vivia ilegalmente no país há anos e por um erro de seu pai, as autoridades descobriram a situação irregular deles e estavam deportando o grupo todo.
 Então nesse último dia em solo americano, Daniel e Natasha vivem toda sua estória de amor que qualquer adolescente de 17 anos sonha viver (e basicamente o livro resume-se a esse enredo).

as quatro estações do amor

Resenha: Pecados No Inverno (As Quatro Estações do Amor #3) - Lisa Kleypas

4.2.17

*Clique no título da obra para ler a resenha de  "Segredos de uma Noite de Verão"*

 Coloquem a música de abertura da "Maria do Bairro" no youtube, peguem seus lencinhos, arrumem um assento confortável e venham aproveitar esse novelão mexicano que foi "Pecados no Inverno" da Lisa Kleypas.
 Estava eu na famosa ressaca literária, quando resolvi apelar para os romances de época novamente. Sem muita paciência para a estória da Lillian (que era narrada no 2º livro dessa série), resolvi ignorar a ordem cronológica da saga e aventurar-me pela vida de sofrimento levada por Evangeline Jenner.
 Evie, faz parte do famoso quarteto das solteironas (as quais nem podem mais receber esse título, pois a maioria das moças já se casaram). Apesar de ser esguia e ter longos cabelos ruivos, a moça não conseguia arrumar um marido de jeito nenhum.
 Para complicar ainda mais sua situação, Evie também era gaga e tinha uma família horrível que estava forçando a moça a casar-se com seu próprio primo no intuito de receber seu dote milionário (spoiler alert: nossa heroína era extremamente mal-tratada dentro do lar, chegando a receber constantes agressões físicas de seu tio e até mesmo primo).
 Eis que vendo-se desesperada para sair dessa situação, Evie encontra Sebastian (mais conhecido como St. Vincent) e o pede em casamento. Porém, o pedido não foi nada romântico, já que a mocinha queria apenas sair legalmente das mãos de sua família e o único modo disso acontecer seria pelo matrimônio.
 Sebastian, que era um libertino devasso, porém financeiramente sem dinheiro algum no banco, logo aceita a oferta da moça (quem nunca?). E juntos eles casam-se rapidamente e iniciam sua jornada como marido e mulher em um relacionamento estreitamente "profissional" (*insira emoji de carinha piscando*). E nem precisa ser oráculo para saber o que irá acontecer no decorrer do livro, não é mesmo?